sábado, 27 de dezembro de 2014

O diário da descoberta da Arca (Parte 2) - Pr. Monteiro Jr.


Em busca da Arca de Noé - Capítulo 4

Até esse tempo, Ron já havia adquirido uma boa seleção de espécimes, uma amostra que acreditava ser restos de metal enviou a Jim Irwin, que a levou para análise no Laboratório Nacional de Los Alamos no Novo México, onde ele já havia trabalhado. Dessa estranha pedra encontrada no perímetro 120` x 40`, obtiveram resultados espetaculares, continha 8,08% de ferro, 11,55% de óxido férrico, 11,45% de alumina e 6,6% de alumínio.

Em outubro de 1984, depois do incidente com Marv Steffins, o ministro de Cultura e Turismo da Turquia, Sr. Kafji, designou vários cientistas turcos para irem a Dogubeyazit e confirmar a existência do barco moldado.

Quando o Ron se deu conta disto, sentiu que era imperativo que eles usassem um detector de metal para conferir as leituras; contatou Mine Unler, e novamente obteve permissão formal para usar os detectores, os quais emprestou aos cientistas turcos. Esses cientistas obtiveram com detector de metal, os mesmos resultados de Ron, e convenceram-se que realmente era um barco petrificado; progresso finalmente.

Ron acreditava que um navio do tamanho e proporções da Arca de Noé teria lastro em sua armação; voltando para casa, ele trouxe amostra de várias pedras grandes, que acreditava ser material desse lastro.

A análise mostrou que o material não era de pedra; de fato provou ser 84,14% de dióxido de manganês; não continha quantidades significativas dos minerais presentes nas outras amostras. Mas o que exatamente era a estranha pedra?

Quando os químicos examinaram a amostra, disseram que não era um material natural, e sim a sobra da produção de metais. Um dos "caçadores da arca" tentando desqualificar as evidências, disse que as amostras eram nódulos de manganês encontrados no fundo do oceano Pacífico.

Porém, ele não levou em consideração o critério do nódulos; os nódulos de manganês encontrados no oceano tem aproximadamente 2 polegadas de diâmetro, significativamente menor que os nódulos da arca, alguns dos quais com tamanho de 10 polegadas ou mais; os nódulos marinhos contém em média 35%, com no máximo 50% de manganês. O material de lastro contém mais de 84%.

Também, os nódulos marinhos contem níquel e cobalto, que não estão presentes no material de lastro. Os críticos acusaram Ron de ter criado uma obra de ficção; porém, com o passar do tempo a realidade das evidências atraiu muito interesse dos mais conceituados meios acadêmicos, propuseram então outras desculpas para desqualificá-lo.

Com esse intuito Tom Jarriel obteve amostras no local, como prova levou-as a exame. Contudo, estas amostras continham um teor alto de metal: 19,97%, 12,30% e 11,55% de óxido Férrico; 8,08%, 13,97% e 8,60% de ferro, confirmando serem realmente metálicas.

Se Noé tivesse construído um navio do tamanho especificado na Bíblia, faz sentido que ele usasse metal para prender as madeiras, afinal de contas, em Gênesis, aprendemos que a produção de metal era uma ciência no tempo da inundação: "E Zilá também deu à luz Tubalcaim, mestre de toda a obra de cobre e ferro..." (Gênesis 4:22)

Com todas as evidências assim tão contundentes, os "caçadores da arca", que dedicavam seus esforços em encontrar a arca no Mt. Ararat, ficaram muito frustrados e irritados com a atenção dada ao local chamado de Montanha do dia juízo universal, onde o barco moldado estava.

Vendo sua indústria de busca ameaçada, concluíram que era tempo de tentar desacreditar o local o máximo possível; e se não conseguissem, desacreditariam o homem responsável.

Na opinião do Dr. Bill Shea, se o "objeto" da arca moldada tivesse sido achado no Mt. Ararat, ele seguramente teria sido anunciado amplamente. O Mt. Ararat é a montanha mais alta na região, peritos tinham determinado que era o único lugar que a arca seria achada. A Bíblia cita claramente o fato dela descansar nas "montanhas" de Ararat; montanhas, plural..

“E a arca repousou no sétimo mês, no dia dezessete do mês, sobre os montes de Ararate” (Gênesis 8:4)

O verso declara que a arca descansou, sobre as montanhas (plural). Lembre-se da experiência de Ron com as miniaturas de configurações monteses com um modelo de barco? O pequeno barco sibilou além de um cume solitário sobressaindo fora da água, mas quando aproximou-se do plano inclinado a ação hidráulica da água fê-la repousar mansamente.

Se, na ocasião a arca "descansou nas montanhas de Ararat", e os topos nem eram visíveis, a única explicação era que veio descansar dentro de um grupo de montanhas semelhantes, a ação de água ainda puxou o navio a uma área protegida. E este é um conceito completamente razoável. A localização do objeto se ajusta a esta descrição perfeitamente; localizado a 6,300 pés sobre o nível do mar, num vale montês cercado por montanhas mais altas em 3 lados.

Desde 1984 até o tempo presente; quase todos que foram ao local, compreenderam a tremenda evidência, Ron era de fato o descobridor da Arca de Noé. Contudo, durante algum tempo, visando dinheiro, Steffins arvorou-se que ele era o verdadeiro descobridor.


Os esforços de Ron estavam começando a vingar; a Turquia estava se interessando pelo local. Enquanto isso, os "caçadores da arca" criavam estórias: Havia um grande lago na região do "objeto", e as pessoas na Antigüidade construíram um navio grande na região; outra estória fabricada dizia que o local era de fato os restos de uma fortaleza antiga; uma fortaleza construída ao pé de um vale montês cercada por 3 lados, que teria permitido aos atacantes simplesmente incendiar os habitantes abaixo.

Outros com credenciais "mais impressionantes" simplesmente declararam que tinham examinado o local completamente e que simplesmente era uma formação geológica incomum. Alguns declararam que o barco era uma formação de fluxo de lava obstruída. Porém, em formações de fluxo obstruídas o sentido aponta sempre abaixo do fluxo, o oposto deste local.

Mas para Ron, a linha de fundo era sempre esta:

“Este local continha os restos da arca, Deus certamente tornaria isto conhecido. Com esse pensamento em mente estava em paz. O Deus de Abraão, Isaque e Jacó, o verdadeiro Deus, criou o universo e destruiu a terra antiga por uma inundação, preservou evidências para provar tudo isto. Mas Ele proveria evidências para convencer o mundo inteiro? Bem, até os que viram o Cristo executando milagres com os próprios olhos, o crucificaram. Algumas pessoas nunca acreditarão, mesmo se um morto voltar”

O propósito original de Ron vindo para a Turquia estava realizado; ele não veio fazer uma grande descoberta, mas satisfazer sua própria curiosidade. Ele pessoalmente estava seguro que estes era os restos da arca. Mas agora ele sentia compelido a se manter lá, e continuar o trabalho no local, mesmo com suas tremendas dificuldades financeiras; afinal de contas, se Deus tivesse preservado a antiga arca, tinha uma razão, e era certamente para o benefício de muitos, não só de Ron Wyatt.

Para alguns, pareceria que Ron estava obcecado, mas para ele era de tal importância a incrível descoberta, que nada mais parecia muito importante. Ele acreditava de todo o seu ser que o objeto era a Arca de Noé; e se ele não ajuntasse evidências, o que seria de todas essas pessoas que tinham sido ensinadas que a Bíblia estava cheio de fábulas e mitos?

O pensamento dele era simples, ele acreditava que a Bíblia é absolutamente efetiva, e como tal, a única real importância que nós como indivíduos temos durante nossa pequena existência nesta vida é bastante simples: obedecer os Mandamentos do Criador que nos deu a vida e divulgar a Verdade aos outros.

Há muitas pessoas dedicadas a Palavra de Deus, que nunca tiveram uma real oportunidade para aprender sobre Ele. Muitos rejeitam a Verdade porque foram ensinados que a Bíblia é uma ficção? Teorias dominam suas vidas em todas as áreas; vivemos num tempo em que todos lugares estão cheios de perigos, até mesmo em nossas igrejas.

Ron decidiu continuar o trabalho, não importava as contrariedades, se houvesse uma única pessoa beneficiada pelos seu esforços, ele o faria. estava muito atento e acreditava que a única esperança era investigar e descartar o mal, os conceitos errados e aceitar o direito.

Depois de ver o barco moldado e estar presente durante o uso do primeiro detector de metal, o Cel. Irwin concordou que o local precisa uma investigação completa. Ele que dedicava-se a buscar a arca no Mt. Ararat sempre foi muito útil a Ron, sempre prestativo quando havia qualquer coisa que pudesse fazer. Achou o local "intrigante", mas antes de qualquer conclusão ou evidências mais científicas ele faleceu.

Ao contrário dos outros caçadores que vieram depois, ele nunca tentou sabotar a pesquisa, de fato, estava disposto a fazer tudo para ajudar Ron. Quando Jim soube que um homem da marinha mercante, um salvage marinho e caçador de tesouro, acreditava que a arca não sobreviveria numa montanha vulcânica, mas deixaria traços na lava estava interessado em procurar a arca no Mt. Ararat, empregando um novo tipo de radar penetrante no solo, e que poderia mostrar objetos sob a superfície da terra. Jim deu para este homem o número de telefone de Ron.

E assim, David Fasold chamou Ron para conversar. Ron lhe falou sobre o barco moldado e toda a pesquisa que tinha sido feita, falou sobre o detector de metal e os resultados obtidos, David mencionou o novo tipo de detector, que era capaz de diferenciar vários tipos de metal e que seria muito útil.

Falou também sobre o radar que revelaria os restos debaixo da superfície; a mais recente tecnologia, e era justamente o do que a pesquisa precisava neste momento. David quis ir ao local o mais cedo possível, o entusiasmo dele eram justamente o que Ron precisava, eles estavam a ponto de embarcar numa pesquisa séria, ou pelo menos era isso o que Ron esperava.


Em busca da Arca de Noé - Capítulo 5

Ron e David Fasold chegaram na Turquia em 20 de março de 1985; esperando por eles estava um príncipe Saudita chamado Samran Al Moteri, e que já visitara Ron anteriormente em Madison, Tennessee.

Ele tinha ouvido falar que o Mt. Sinai tinha sido encontrado na região de Acaba na Arábia Saudita em 1984, e queria que Ron lhe mostrasse a montanha, e para confirmar a confiabilidade de Ron ele quis ver a "Arca de Noé", então após isso ele conseguiria vistos para Ron e David entrarem no país dele; mas como príncipe estava muito doente eles não puderam ir imediatamente para Dogubeyazit.

Enquanto eles esperavam em Ancara, Mine Unler, um das ligações de Ron com o governo turco, organizou uma reunião com o famoso arqueólogo Dr. Ekrem Arkugal; que em outubro de 1984, os Turcos tinham enviado, junto com seus próprios arqueólogos, para investigarem o barco moldado, época em que Ron lhes emprestou um dos detectores de metal.

A expedição turca conseguiu resultados muito positivos, eles observaram o mesmo padrão de leituras de metal obtidos por Ron, como mostrava as notas de campo deles; e recuperaram vários objetos de metal, alguns ainda intactos, foi dito a Ron que esses objetos foram levados para o Museu de Minas e Minerais de Ancara.

O Dr. Arkugal, Um ateu professo, declarou a Ron numa conversa que o objeto era um navio, repetiria essa conversa depois numa entrevista, afirmando que realmente era a Arca de Noé. Quando um repórter perguntou a ele: "Por quê?"; ele simplesmente respondeu: "Porque não há nenhuma outra explicação".

Quando o Dr. Arkugal apresentou uma cópia do seu livro; "Ruínas Antigas da Turquia", onde ele escreveu, " Para o Sr. Ron Wyatt, Parabéns pelas descobertas"; Ron pensou, as coisas estão incrivelmente boas, encontraram um bom caminho ao longo dos últimos sete meses, graças ao apoio de Jim Irwin.

Finalmente, eles voaram a Erzurum onde contrataram um táxi para os levar a Dogubeyazit. Dilaver Avci um amigo de confiança se juntou a Ron e David. Quando eles chegaram ao local da arca, a excitação de David e Samran era evidente.

David tinha trazido um detector de metal com indução pulsada, como também um gerador de freqüência molecular (MFG), o qual demonstrava leituras de metal a grandes distâncias. Os detectores de metal convencionais só eram efetivos num raio de poucos centímetros.

Então Ron os levou para ver a âncora de pedra e a aldeia. David não pôde conter a emoção, enquanto Ron era um crente na arca da Bíblia, ele acreditava na arca da epopéia de Gilgamesh, e verificou a familiaridade das conexões babilônicas evidente em algumas das pedras; um exemplo era o ziggurat esculpido em uma das pedras.


Todos estavam contentes, até que Ron os levou para ver as lápides que ele acreditava ser de Noé e de sua esposa. Quando eles chegaram, a casa agora estava reduzida a uma pilha de pedras soltas, as lápides tinham sumido, em seu lugar um buraco; o sepulcro lamentavelmente tinha sido roubado.

Finalmente, eles partiram. Samran convenceu-se da importância do trabalho que Ron havia feito, o príncipe gravou um vídeo sobre a arca; e convidou os três a voarem imediatamente para a Arábia Saudita. As coisas estavam luminosas em relação a Arca de Noé, agora ele conseguiria realizar o mesmo em relação ao verdadeiro Mt. Sinai (veja Evidências do Êxodo).

Quando eles voltaram da Arábia Saudita para a Turquia, David estava ansioso para adquirir uma casa assim que pudesse. Ron ficou em Ancara quatro dias, para apresentar o caso da Arca de Noé, em reuniões organizadas por Mina, com todos os ministérios turcos. A resposta dos ministros foi muito positiva, Ron estava seguro que eles cooperariam muito com ele.

David queria trazer o radar de interface sub superficial para esquadrinhar o local; esse sistema de radar revelaria qualquer estrutura sob a superfície. Esse radar pode ser afinado com inúmeras freqüências, refletindo várias profundidades; então, esquadrinhando a mesma área numerosas vezes usando freqüências diferentes, um quadro tridimensional pode ser construído.

Porém, alugar esse equipamento com operador é muito caro, e a idéia de comprar um sistema estava fora de cogitação. Mas, teria que ser o próximo passo, o equipamento eletrônico era tão vital à pesquisa...

Um pouco menos que um mês depois, Ron voltou a Ancara para mais reuniões e obter licenças aos detectores de metal, mesmo com a licença emitida em Ancara, tiveram que ir para Agri a capital da região oriental onde foi processada uma ratificação. Ancara é a cabeça do governo, mas os governos regionais gostam de pensar que, de fato, são a palavra final.

Ancara é muito longe de Agri e Dogubeyazit; se qualquer problema surge com uma licença em Agri, significa muitos dias de espera e caras e viagens para Ancara, sem garantia do problema ser resolvido. Assim Ron perdeu muito tempo com isso.

Nesse tempo, Ron recebeu uma chamada, de um dos cientistas de Los Alamos. Jim Irwin tinha enviado as amostras da Arca que Ron lhe deu, para análise em Los Alamos, e o cientista que fez o teste tinha algumas perguntas para Ron.

Ele queria saber de onde a amostra foi retirada, e Ron o convidou a vir e ver pessoalmente. Para sua surpresa, John Baumgardner, um geofísico de Los Alamos, aceitou o convite, e em junho de 1985, John, David e Ron entraram no local da arca. Usando três tipos de detectores de metal, eles fizeram uma marcação do local. A cada leitura de metal, eles colocaram uma pedra, e então conectaram cada pedra com fitas plásticas.


A forma de um navio poderia ser vista no padrão das tiras. John Baumgardner, cético no princípio, logo começou a mostrar uma grande confiança, afinal de contas, foi a análise de metal do espécime que Jim Irwin tinha lhe enviado que chamou sua atenção.

O cientista de Los Alamos contou que anteriormente suspeitara que talvez um satélite houvesse caiu na região, e que Ron, ignorante destes assuntos, confundiu isto com a Arca de Noé.

John foi um grande avanço ao time convencendo-se da arca; pelo menos é o que Ron e David pensaram; ele tinha apoio financeiro e credenciais impressionantes. Quando a viagem terminou, os três concordaram por completo que esta era a Arca de Noé, e que era imperativo usar o radar.

A próxima viagem Seria em agosto de 1985, na época anual da peregrinação dos caçadores da arca ao Mt. Ararat. Um advogado da Califórnia, amigo de John, concordou em financiar a expedição.

David conseguiu que Tom Fenner da GSSI, fabricante do equipamento de radar, viesse com o sistema; Jim Burroughs da rede de tv ABC também foi para cobrir o evento. O financeiro de John veio com equipe própria de filmagem, como também dois outros cientistas de Los Alamos.

Ron adquiriu as licenças, e tudo parecia que ia bem, era evidente a satisfação de John quando fundaram o projeto, em ser um "sócio do time". Mas, na realidade Ron e David não tiveram nenhum apoio financeiro, pagaram tudo do próprio bolso, e tudo estava ficando muito caro, especialmente para David que ainda tinha crianças em casa.

Ron, John e os cientistas de Los Alamos chegaram primeiro, eles mediram o local com dispositivos de agrimensura sofisticados e chegaram a 515 pés e 7 polegadas de comprimento, novamente, 300 cúbitos egípcios. Tudo foi filmado pela equipe de John e Ron conseguiu adquirir alguns vídeos.


Com toda a publicidade sobre a região e o grande ajuntamento de "Caçadores da Arca" no local, terroristas aproveitaram esta oportunidade para agir, atacaram o povo da região do Mt. Ararat, e foram ao local do barco moldado; contudo, comandos Turcos estacionados próximo ao local dizimaram alguns deles e obrigaram o resto a fugir.

Então, foi declarada lei marcial e o local de exploração fechado; todos partiram sem concluir o trabalho; até aquele momento tudo havia sido documentado de uma maneira positiva; assim, uma nação inteira teve a oportunidade de ver o que estava acontecendo na "montanha do Dia do juízo universal".

Em agosto de 1984, Ron e Orhan ficaram sabendo dos aldeãos uma coisa interessante; a montanha era chamada localmente de "Montanha do Dia do juízo universal"; novamente, uma evidência circunstancial do local.

Não havia muita coisa a fazer sem o caríssimo sistema de radar, como não tinham fundos para comprar ou locar esse equipamento, Rom pediu a seu sobrinho expert em eletrônica, para construir uma versão simplificada de um sistema equivalente. Gary Rucker, sabendo o princípio de funcionamento do aparelho, conseguiu produzir um protótipo funcional de baixo custo.

Em 23 de Outubro, menos de dois meses depois, Ron voltou à Turquia com este "radar". Essa viagem não foi desperdiçada; numa passagem rápida pelo local, com o scanner amador, Ron obteve resultados impressionantes; isto o incentivou a fazer maiores esforços para conseguir um sistema profissional, afinal ele sabia que os resultados do radar caseiro seriam ridicularizados.


Em busca da Arca de Noé - Capítulo 6

A próxima série de eventos não é o tipo de coisas podemos explicar cientificamente, é um das razões de Ron receber tantas críticas nos meios acadêmicos; ele acreditava em oração.

Ele orou por ajuda, e então foi falar com um homem de negócios, conhecido por ajudar financeiramente projetos que sentia ser merecedor. Explicando sobre o radar, o financista concordou em comprar um sistema, cedendo seu uso a Ron.

O equipamento foi transportado para a casa de Ron em Madison, Tennessee, que o levou imediatamente para o aeroporto afim de atender as normas alfandegárias exigidas por lei, colocou seu nome na caixa do equipamento e deixou-o lá. Era muito cedo para usá-lo aquele ano, mas Ron queria estar pronto para ir o mais cedo possível...

Agora, mês de agosto, os jornais turcos estavam cheios de histórias sensacionalistas sobre a arca. A maioria eram história totalmente fictícias sobre Jim Irwin e Ron. Jim era tido com um herói na Turquia, era sempre alvo nas notícias, principalmente quando lá estava, sendo objeto para qualquer tipo de história para atrair leitores. Considerando que Ron encabeçava o time que acreditava que a arca não estava no Mt. Ararat, ele era tido como antagonista.

Nas primeiras páginas estavam fotografias de Ron e Jim, com legendas atribuindo coisas terríveis de um para o outro. Aproveitado esta oportunidade para tentar desacreditar Ron novamente, um "caçador da arca chamado Sr "T" enviou uma cópia traduzida desses jornais turcos ao homem de negócios que comprou o radar, convencendo-o que Ron não era de confiança.

Ron recebeu uma carta do dono do radar declarando que não cederia mais o equipamento; isso era um tremendo golpe para Ron, mas ele estava se acostumando a todo tipo de contratempo. Era como se houvesse uma luta invisível; às vezes Ron ganhava, às vezes o lado escuro amealhava alguns pontos.

Depois disto, ele chamou David e lhe perguntou se queria ir para a Turquia novamente; e David concordou imediatamente. Assim, em 21 de junho, eles chegaram na Turquia, mas o único scanner radar que Ron tinha era o que Gary tinha construído.

Durante a noite indo para o Hotel, eles descobriram que estava cheio, e não havia mais vagas; finalmente acharam uma pessoa que tinha um quarto livre onde puderam pernoitar.

Logo mais, um dos homens do hotel veio até a casa onde Ron estava alojado, para lhe falar sobre uma bagagem com o nome dele que estava no hotel; sabendo não haver nenhuma mala sua lá, ele foi ver do que se tratava. Quando chegou no quarto de bagagem, lá estava o radar SIR-3, com o nome dele na caixa.

Foi um daqueles momentos que dá vontade de gritar para o mundo, contatando o dono do radar, ele explicou o encontro do radar abandonado no hotel, lhe perguntou se ele poderia usá-lo; a resposta foi afirmativa.

O "Sr. T" havia convencido o dono do equipamento a deixar trazê-lo para a Turquia, objetivando usá-lo na arca; mas aparentemente algo aconteceu, e ele simplesmente o abandonou no hotel.

O que realmente aconteceu era que ele não tinha passado pela Alfândega antes de deixar o EUA, e o radar foi considerado por funcionários turcos como sendo uma "importação ilegal". Isto significava que para levar de volta, uma quantia muito grande de dinheiro teria que ser pagada.

Ron e David ansiosos com a possibilidade que obtiveram, decidiram ir diretamente ao local e fazer o esquadrinhamento sem obter a licença de Agri, pois demoraria muito. Estavam se arriscando, mas eles consideraram não tinham mais tempo a desperdiçar. Finalmente, o radar!


Ron não tinha recebido treinamento para usar o sistema, mas o David sabia como usá-lo, e assim eles fizeram várias passagens como ele; os resultados eram tão espetaculares que eles chamaram John Baumgardner e Bill Shea para testemunhar o evento. Foi decidido que eles viriam se Ron pudesse adquirir as licenças. Então ele foi para Ancara, adquiriu as licenças, e logo, o grupo John também estava a caminho. Bill Shea chegaria lá assim que ele pudesse.

John chegou e trouxe um balão de ar quente, eles planejaram usá-lo para obter um filme do local; então, um desastre aconteceu; quando o balão estava sendo inflado no estacionamento do hotel pelo grupo de John, o mesmo incendiou-se, o fogo causou tal comoção que eles foram impedidos de continuar.

Quando Dr. Shea chegou, o local estava foi fechado e ele nunca mais chegou perto o bastante para ver novamente o objeto de muitos anos de estudo e esforços. Ron levou o Dr. Shea para ver a âncora de pedra e outros objetos de interesse próximos a aldeia, mas isso era tudo que eles conseguiram ver. Ron foi a Agri para tentar contornar a situação, essa era a última vez que ele, David e John trabalharam juntos.

Retornando para casa, Ron entregou o radar à companhia do homem de negócios, onde foi emitido um recibo. Seu nome e a sua companhia são confidenciais (ele pediu sigilo), por isso nós omitimos os nomes (inclusive do "Sr T").

Uma carta que Dr. Shea escreveu a Ron em 11 de agosto de 1986, logo após eles voltarem para casa, relativo ao " Sr. T " que caluniou Ron ao homem de negócios; nela o Dr. Shea relata a conversa dele com o "Sr. T", que o chamou após ouvir falar que ele esteve na montanha; estava tentando descobrir o que aconteceu ao radar.

O Dr. Shea falou simplesmente que a última vez que o viu estava num táxi em Ancara, e que não soube o que aconteceu depois disso (o que é verdade) não mencionou que Ron o levou e que eu tinha escrito um artigo sobre isto.

"T" lhe disse que para retira-lo da Turquia teria que pagar para o governo local 8,000 U.S, então ele simplesmente o deixou no hotel. Ele também torceu a história do trabalho de Ron na Arábia Saudita; disse ser uma combinação com os israelenses de entrar na Arábia Saudita para fotografar os locais de lançamento de mísseis deles.

A declaração para Dr. Shea que Ron era espião israelense, confirmou sem sombra de dúvida que foi "T" que informou aos o Sauditas da presença de Ron na área, o que custou a ele e seus filhos, 3 meses presos na Arábia.

Mas, para Ron sair da Turquia com o equipamento não houve nenhum problema, já que no dia que ele recebeu o radar em sua casa, ele retirou toda a documentação necessária na alfândega.

Havia muito tensão neste momento em todo o mundo, Ron estava pronto para deixar o assunto da arca; ele levou o vídeo feito do uso do radar a José Rosetta, vice-presidente de GSSI, e Tom Fenner, o técnico que tinha ido a Turquia em agosto de 1985; isto resultou num documentário no Canal 9 de Hudson, no qual o Sr. Rosetta declarou que a arca moldada não era um objeto natural.

Nesse filme, de 3 de agosto de 1986, cujo título é "Arqueólogo Achou a Arca"; Ron segura o radar e prova veracidade da arca, o apresentador expõe que nunca uma coisa assim foi vista em geologia natural. Algum humano fez esta estrutura, foi o veredicto da GSSI; Ron esteve brilhante, absolutamente soberbo, depois de muita investigação a conclusão, a estrutura era artificial.

Durante vários anos, Ron foi um empregado de tempo integral num hospital. O único modo de acomodar as viagens com o trabalho como um anestesista foi trabalhar por períodos escalonados no qual pudesse ausentar-se periodicamente. Este método provou ser uma situação perfeita, ele trabalhava até que tivesse capital para fazer uma viagem, e então partia.

Ele obtinha empréstimos de amigos, em ocasiões que ele sentia ser importante agir depressa, às vezes alguém ofereceria donativos à causa, embora isto era muito raro. Quando ele voltou à Turquia em novembro de 1986, foi informado que os Turcos em dezembro de 1986 fariam uma reunião na qual uma decisão seria tomada, se o local era oficialmente a Arca de Noé ou não.

Todos que tinham trabalhado no local levaram seus próprios operadores cinematográficos, mas o Ron nunca teve nenhum; os filmes que produziam nunca eram vistos até mesmo por Ron, a menos que aparecesse na televisão ou num documentário.

Ele começou a sondar as possibilidades de organizar um filme, sabia que ia precisar de muita ajuda financeira, não para filmar Ron Wyatt, mas documentar a evidência que acreditava que iria surpreender o mundo.

Por: Monteiro Junior.

Fonte: “O Pesquisador Cristão” (www.opesquisadorcristao.com.br)


- Veja uma lista completa de livros meus clicando aqui.

- Acesse o meu canal no YouTube clicando aqui.

0 comentários:

Postar um comentário

Envie o seu comentário. Mensagens que contenham insultos, agressões ou desrespeito não serão publicadas. Nem insista.

 

Ateísmo Refutado Copyright © 2011 | Template design by O Pregador | Powered by Blogger Templates